quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Passar roupa

Eu bem que procurei pelo caderno lições sobre a tarefa de passar roupas. É difícil encontrar porque as folhas já estão quebradiças e há muitos recortes soltos e colados pelos cantinhos das páginas.

Mas ontem, enquanto enfrentava tarde da noite a pilha das roupas do meu filho, fiquei pensando no caderno, pensando nessa tarefa, botando reparo na má qualidade do meu serviço. E foi engraçado. Porque percebi que passar roupa, que faço automaticamente (bom, mais ou menos) atualmente, que é uma tarefa doméstica corrente e "oficial" com dia, hora e local estabelecido para ser realizada, é algo que comecei a fazer quando Alê nasceu.

E, mais engraçado ainda: ninguém se perguntou quem faria isso, ou se eu sabia como passar roupa (rá, não sei, fato consumado). Simplesmente comecei a fazer e mais um serviço doméstico se incluiu entre os demais, "naturalmente". Porque o pressuposto é que a mulher faça, que a mulher saiba. Tenha ela um caderninho ensinando ou não.

Lavagem de roupa - ensaboamento

"Peça por peça, passa-se sabão em tudo principalmente nas partes mais sujas e deita-se numa bacia.

É aconselhável despejar-se na mesma água quente.

Isso feito esfrega cuidadosamente todas as peças com especial atenção às manchas, em seguida lava-se em nova água limpa, ensaboa-se novamente e põe-se num coradouro apropriado (peças estendidas) regando-se de vez em quando, não as deixando secas; enche-se  novamente o tanque e deita-se a roupa tirada do coradouro. Peça por peça esfrega-se e torce-se deitando tudo numa bacia. Terminada assim toda a roupa repete-se até deixar água limpa. Passa-se a seguir em anil e estende-se com pregadores no varal.

Na falta de um bom coradouro, pode-se ferver a roupa pelo espaço de 15 minutos com uma boneca de cinza e junta-se à água meia xícara de querosene.

Bacias ou tinas: São precisas no mínimo 2: uma para roupa, outra para anil. 

A limpeza dos tanques deve ser feita com escovas."